Conto 15 - a Cacadora

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011



Conto 15 – Vampiro perfeito...
Jessi e Zack – personagens de A caçadora
Autora: Vivianne Fair


A vida já é complicada quando você tem contas para pagar. Mas o Conselho não facilita a vida, sabe? Você pode dar mil e uma desculpas para driblar o serviço, mas não com eles. Aah, não, como se matar Zack fosse um trabalho simples como matar uma mosca.
Ele é chato feito uma, mas se você tivesse que matar uma mosca de mais de 800 anos de idade e cheia de poderes de super herói não ia considerar meu trabalho fácil nem de longe. Suponhamos que você ainda não tenha lido o livro 2. Vai por mim, Zack tem segredos que não deixariam você dormir à noite.
Não que ele me deixe dormir à noite também. E não no sentido ‘perva’, digamos assim. Ele fica cantando embaixo da minha janela, tacando pedrinhas a noite toda se a deixo trancada – isso quando não a quebra com uma pedra descomunal ‘sem querer’ ou quando entra e finge que está roncando ao meu lado pra não me deixar dormir. Sem contar que esses dias ele comprou um PSP, uma espécie de videogame portátil e, além de deixar aquele barulhinho insuportável na maior altura, ainda fica xingando os personagens quando não consegue passar na fase. O que é mentira, porque francamente, Zack consegue tudo o que quer.
Até uma caçadora burra feito eu, que cai de joelhos toda vez que ele tira a camisa.
Infelizmente não é com frequência.
Que ele tira a camisa, quero dizer.
O Conselho mandou-me um e-mail até simpático hoje. Algo que dizia mais ou menos “como está aí sem fazer nada, e já que Zack é poderoso demais e estamos gastando uma nota deixando você aí na universidade fazendo as unhas, será que pode sair hoje à caça e deter um vampiro chamado ‘Mark’ e provar ser um pouco útil?”
Eu não poderia dizer simplesmente ‘desculpa, tenho hora no salão hoje; pode ser na quarta?’ Imagino o teor do próximo e-mail.
Resignadamente, esperei dar umas 17h, um pouco antes de Zack aparecer, e colei um bilhete na janela, do lado de fora.

“Zack, vai procurar o que fazer. Por incrível que pareça estarei um pouco ocupada hoje.
PS: Devolva a droga do volume 3 do ‘Diários do Vampiro.’ Eu sei que foi você quem pegou. E ai de você se não tiver inteiro.”

Uma ameaça nunca é demais, apesar de saber que não faz diferença alguma. Já o imagino dando uma risadinha e coçando o ouvido, imaginando se vai assaltar o banco de sangue hoje ou deixar para amanhã.
 Coloquei minha roupa mais chique – a gente deve caçar vampiros com classe, vai que alguém te descobre enquanto está caçando e te convida para fazer um seriado de televisão – e desci as escadas apressadamente, esperando que alcançasse o lugar indicado antes das 18h. O email só dizia: “Mark, galpão abandonado, fora dos limites da cidade, recém habitado. Mudou-se há pouco tempo. Loiro, alto, olhos azuis.”
Claro, tinha que ser loiro e de olhos azuis. Não podia ser ‘baixo, feio, espinhas na cara e olhos cor de burro quando foge’. Ai. Nunca vou casar se tiver que sair eliminando todos os homens gatos desse jeito. O fato de estar morto e ser bebedor de sangue não são problema. Afinal, todo mundo tem defeitos, certo? Não sou exigente.
Demorei um pouco para achar o galpão abandonado. Quer dizer, eu não conheço essa droga de cidade direito; só pretendia ficar aqui, fazer meu trabalho e dar o fora. Mas matar Zack está além das minhas forças; eu devia pensar em me mudar de vez pra cá e fazer turismo.
Sem contar que chegar nas pessoas e dizer “oi, com licença, sabe me dizer onde fica um galpão abandonado? Sei lá, qualquer um?” não estava dando muito certo. Só perguntei duas vezes e uma delas fez sinal para um policial.
Ela não fez sinal, ela simplesmente caminhou até ele ignorando minha pergunta. Achou o quê, que eu ia esconder o corpo dela lá dentro?
Percebi que estava fazendo a pergunta para as pessoas erradas. Então me descabelei um pouquinho – lá se foi o salão – comecei a mancar e encontrei um mendigo pelo caminho. Ele me disse o caminho com muita amabilidade, mas afirmou que dormir lá não era confortável. Além do mais, o local parecia ser mal-assombrado ou era talvez um plano de política do governo para eliminar indigentes, já que nenhum deles que dormisse lá aparecia novamente.
Bingo!
Demorei a encontrar um ônibus que ao menos passasse perto do local – cara, é abandonado, certo? – então cheguei lá um pouco depois das 18h. Será que o vampiro já tinha saído pra caçar ou não era daqueles que acordava cedo? Será que o nome dele era Mark mesmo ou o Conselho furou outra vez? (só lendo o livro 1 pra entender).
Abri a porta pesada e de madeira velha, segurando fundo na garganta o ‘tem alguém aí?’ porque queria surpreender dessa vez. Um vento gelado bateu no meu rosto, enquanto eu admirava a desolação do lugar.
Saco, não dava pra ser num supermercado lotado de gente? Ou até dentro da universidade mesmo, pra depois eu me trancar no quarto se desse mer...? Porque eu tenho certeza que vai.
Respirei fundo e senti a porta bater pesadamente atrás de mim, levada pelo vento.
Pode vir, Freddy Krueger, estou aqui, só te esperando.
Como eu não tinha outra saída, caminhei pé ante pé até chegar a uma escada de mão que levava ao segundo andar. O segundo piso só cobria metade do lugar; se alguém caísse dali não passava do chão, com certeza. Fiquei na ponta dos pés tentando enxergar alguma coisa ali em cima. Dei de ombros; depois de vasculhar tudo ali embaixo, o vampiro só podia estar ali.
Já viu uma caçadora de vampiros que tem vertigem de altura? Pois é.
Mas aposto que você também nunca viu uma caçadora de vampiros que tem um gosto fenomenal para roupas.
Certo, aposto que sua resposta seria ‘nunca vi uma caçadora de vampiros. Ponto.’ Não te culpo, sério. Não é uma profissão que te dê uma aposentadoria boa. Ou que o deixe com esperanças de chegar lá.
Segurei firme meu spray de água benta no bolso, apertei a cruz em volta do pescoço e comecei a subir. Metade da escada. Até agora tudo bem.
Dei uma respirada, me recusei a olhar pra baixo e continuei a subir. Quando faltavam ainda 4 degraus para chegar ao topo, eu arrisquei uma olhada para cima e me deparei com um vulto observando-me atentamente. Respirei fundo outra vez e falei com voz esganiçada e irritada.
– Sei que parece absurdo, mas pode esperar eu chegar até aí em cima pra me atacar? Não está sendo fácil escalar essa droga aqui, não.
  O vulto não se moveu, mas tenho certeza que ouvi uma risada leve. Ótimo. Mais um pra lista de vampiros que não me respeitam. Eu podia ter feito uma entrada fenomenal e chutado a porta do galpão, mas não queria arranhar minha bota nova.
– Olá...
Ele murmurou com voz suave quando cheguei ao topo e me recompus. Meu queixo caiu, logo depois. Ô profissão ingrata. O cara era lindo mesmo; aquele cabelo sedoso e loiro jogado meio largado para trás, os olhos azuis emoldurando aquele rosto angelical e sobrancelhas que pareciam ter sido feitas só pra comportar aquele olhar profundo. Por que mesmo que tenho que ser caçadora de vampiros? Não podia ser uma conselheira matrimonial deles? Tudo bem que meu conselho seria sempre ‘casa comigo, é o que te sugiro’, mas te garanto que pelo menos bem com um eu me daria, antes de perder o emprego.
Não, ele não era mais lindo que Zack, mas ninguém pode ser, eu só estou pondo meu padrão no lugar certo.
Aí ele sorriu e fitei aqueles caninos agudos, ansiosos por meu sangue. Ah, é. Por isso que sou caçadora de vampiros. Bem, todo homem tem um pouquinho de sanguessuga dentro de si, certo? Tenho mesmo que matar esse? Cadê minha lixa de unha? Resolvo o problema rapidinho dando uma lixadinha naqueles dentes e deixando-os com o padrão normal da sociedade.
– Olá, querida... chegou bem na hora do jantar... espero que tenha trazido sua carteira de identidade. Se bem que não importa, já que será enterrada como se fosse uma indigente qualquer mesmo.
Mais um vampiro engraçadinho. São todos assim, com esse humor mordaz?
Humor mordaz! Haha, sou hilária!
– Prepare-se, vampiro Mark! ­– anunciei em alta voz, esperando que ao menos soasse convincente – A sua hora chegou! Sou a caçadora Jéssica do Conselho e estou aqui pra te matar!
Aí me lembrei da piada do paraguaio de Zack e tive que me segurar pra não rir. Deixa pra lá, quando lerem o livro 3 vocês vão entender.
– Minha hora já chegou faz uns duzentos anos... você está meio atrasada, caçadora Jéssica.
Duzentos anos? Ih, novinho. É pecado caçar um bebê?
Brincadeirinha...o cara parecia ter uns 29... Ah, se não estivesse morto.
Saco, é sempre assim. Ou tem namorada, ou é casado, ou é gay, ou quer me matar.  
– Não importa. Você tem matado muitos inocentes. Já é hora de acabar com isso!
– Hum, muito bonita essa sua saia... é nova?
– Ah, obrigada! É sim, comprei na... – então pisquei, como se tivesse sido hipnotizada – então, quer fazer o favor de se render e morrer?
Puxei o spray de água benta e apontei pra cara dele. Eu sei que não seria suficiente para matá-lo, mas daria tempo de eu alcançar a estaca na bolsa e descobrir de onde tiraria a força para enfiá-la no coração dele.
Mark torceu o nariz, mas em seguida sorriu. Eu suspirei e apertei o spray sem dó, mas ele desviou rápido feito um tigre e sumiu da minha vista. Sem virar eu já sabia que ele estava atrás de mim. Tive certeza disso quando Mark segurou forte a minha cintura me impedindo de virar. Droga, esse também tem super velocidade. Acho que deviam vir com perfil, sei lá. Que prático seria encontrar o vampiro no facebook com toda a sua descrição. 
Ele apertou-me firme e sussurrou ao meu ouvido:
– Tente não sangrar muito quando quebrar o pescoço.
Em seguida atirou-me do segundo andar.
Senti minha vida passar em câmera lenta.
Foi bastante rápido pra minha frustração. Não tinha muitos detalhes que eu quisesse me lembrar.
Eu senti que poderia vomitar, mas não deu tempo nem de vir lágrimas nos meus olhos. Não consegui gritar, mas antes de bater no chão eu vi os olhos de Mark sorrindo pra mim... até ficar subitamente assustado.
Quando achei que já estava mais que na hora de me esborrachar no chão, senti algo forte me segurando instantes antes de virar panqueca. Um braço forte amorteceu a queda e de súbito fitei os olhos cínicos que aprendi a amar pelos poucos meses que estive na universidade.
– Quer dizer que está me traindo agora?
Eu pisquei várias vezes antes de me dar conta que estava nos braços de Zack. Ele me fitava com uma expressão acusatória, antes de me pôr de pé e continuar me censurando.
– É só eu dar as costas que a senhora dá seu pescoço para outro morder, é? Não tem vergonha?
A raiva da censura superou o susto inicial.
– Pra começo de conversa eu não vim oferecer meu pescoço pra ele; mesmo porque o tal Mark ia quebrá-lo. Eu vim para matar – suspirei fundo quando ele esboçou um sorriso – E não me venha com a droga da piada do paraguaio!
– É a mesma coisa – ele sorriu de lado – matar, dar seu pescoço pra ele. É só a mim que você deve caçar! Isso é traição!
– Zack, escuta aqui, em primeiro lugar isso foi ordem do Conselho e em segundo lugar essa é a minha profissão!
– Em primeiro lugar, era só ter me dito quem você queria eliminar. Em segundo, você chama isso de profissão? Como caçadora você seria uma ótima comediante.
– Pensa que não considerei a hipótese? – admiti, com um pingo de orgulho ferido.
– Então, o casal não vai se ocupar de mim?
Viramos o rosto e percebemos que Mark estava exatamente ao nosso lado, esperando pacientemente a nossa pequena discussão amigável terminar. Zack torceu o nariz.
– Jessi, espera lá fora. Não vai ser uma visão agradável.
– Você está protegendo essa humana? – Mark torceu o nariz com desgosto – Que vampiro é você? Se o mestre souber disso...
Zack riu de uma piada particular, me colocou por cima do ombro apesar de meus protestos e pareceu sorrir de modo sinistro quando anunciou ao vampiro.
– Desculpe, acho que não me apresentei formalmente. Meu nome é Zack. Zack Redpath.
Isso soou tão Bond. James Bond, só que ao contrário.
Quando Zack deu as costas a ele e começou a encaminhar-se para a saída eu lancei uma olhada para o Mark e, por incrível que pareça, ele parecia ainda mais pálido do que o normal, com uma expressão de puro terror. Engoli em seco. Será que ele conhecia Zack mais do que eu? Bom, teve uns 200 anos pra isso.      
Quando chegamos do lado de fora, Zack me tirou dos ombros, colocando-me suavemente no chão e falou com uma voz meio irritada.
– Depois a gente conversa sobre a senhora andar pulando a cerca por aí. Agora vou caçar. Espere-me aí, quietinha e não olhe.
– Espera! – pedi, quando ele já estava quase entrando no galpão.
Ele virou-se meio contrariado.
– Como você... como descobriu que eu estava aqui?
Ele sorriu e coçou a cabeça.
– Jessi, eu sei de todos os vampiros que invadem a cidade e este é o mais recente. Como você costuma ir às lojas de dia e sempre me espera para fazer alguma besteira na rua à noite, imaginei que fosse aprontar. Então vasculhei seu e-mail e li a mensagem do Conselho.
– Eu não acredito que vou ter que mudar a senha outra vez!
Ele deu de ombros enquanto me acenava, entrando novamente no galpão.
– E faz diferença?
É, não faz. Porque ele tem acesso a todas as minhas redes sociais. E aparentemente é melhor caçador do que eu.
Caçar vampiro perfeito é um saco.




Vivianne Fair



   

 Parece que alguém não vai ser bem pago...hahaha! 
Comentários no Facebook
39 Comentários no Blogger

39 comentários:

  1. Nossa amei!Muito bom mesmo!Viviane Fair voce é uma escritora incrivel...Dios mio!Muito bom mesmo!Hahhahaha,quero o segundo livro logo...Mas vou ter que esperar,fazer o que...
    Kisses,
    Vicky

    ResponderExcluir
  2. awww, Vicky, obrigada mesmo, flor! ^^ Estou lisonjeada! Espero que goste do segundo!! ^^

    ResponderExcluir
  3. hahaha gostei ^^

    ResponderExcluir
  4. hahahah gostei tbm =D

    Fiquei curiosa pra saber a piada .. aguardando ansiosamente o livro 3. *---*

    bjoss

    ResponderExcluir
  5. Oi vivi, ja fiz o download, pena que vou ter que aguentar um pouco a curiosidade, ja que só vou poder ler mais tarde, mas com certeza eu vou adorar, como sempre. Atenção gente, deixa a Vivi escrever o 3° livro, assim ela termina logo..não sei quem são essas pessoas que não aguentam segurar a ansiendade..ha ops..acabei de lembrar que sou uma delas..foi mal..rsrs.

    ResponderExcluir
  6. *Quem é que está te pressionando Vivi?? Serio, pode falar sem medo... Nós acabamos com a raça do talzinho rapidin... hehe
    ** Jessica safadinha, pulando a cerca já tendo um caçado tão gato como Zack!!!
    Assim não dá...
    *** TÔ muendo aqui pra saber a piada do paraguaio... ooooh

    ResponderExcluir
  7. Olhos cinícos...derreti

    Soou tão JB kkkkkkk

    caramba rindo muito....tadinha de Jessi kkkk .... muito muito bom

    hum jah que tu foi atrapalhada mesmo dá uma passadinha no blog tem um meme literário para vc rs.

    Bj.

    ResponderExcluir
  8. Oi parabens. E eu cá de portugal dou uma forcinha para acabares o livro. Que eu estou desejosa de ler, e não sou a unica.
    Beijos AMB

    ResponderExcluir
  9. Haha, muito bom mesmo!
    Eu to super curiosa pra saber qual é a piada!!
    E quem será que está te pressionando em Vivi?? Eu hein???!!! rsrsr!

    ResponderExcluir
  10. HAHAHAHA adorei o conto.
    que sorte da jessi, se não fosse pelo zack ela teria virado lanchinho -Q kkkkkk

    ResponderExcluir
  11. kkkkkkkk....muito bom a tirinha chefa...adoro quando você coloca o "salvamento do zack" ... desse geito a Jessi vai ficar louca kkkkk

    ;*

    ResponderExcluir
  12. ahhhhh adoro todos os contos, já li todos e amei sao otimos kkkkkkkkkk, morro de ri. e esse foi sem noção. adorei quando zack salva jessi. bjkas

    ResponderExcluir
  13. hahaha, gente, eu leio todos os recadinhos que vocês deixam e adooorooo!! Uma hora eu deixo o zack contar a piada do paraguaio, ams como Jessi mesma diz: não tem graça nenhuma! ^^; Hahaha, ri muito com os comentários!! Adoro vocês!! =***

    Marcia, não achei não..rsrs! ^^;

    ResponderExcluir
  14. Só quero saber quem são essas pessoas que estão pressionado a Vivi a terminar logo o livro 3.. >_>

    kkkkkkkkkkkkk' Ri muito!! Eu sabia que o Zack ia dizer que foi traição... Sem contar que não sei como uma pessoa super bem vestida só bagunça o cabelo e manca um pouquinho conseguiu enganar alguém né.. =P kkkk'
    Adorei, Vivi!! ^-^
    E estou muito curiosa pra saber essa piada do paraguaio... não dá pra contar antes do livro não? Seria spoiler? *cara de pidão* :3

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  15. Ah gente, não que eu queira que ela seja pressionada pela editora (ou quem quer que seja) para acabar logo o livro, mas estou aqui na torcida pra que fique pronto o quanto antes, como já disse estou esperando sair o último para comprar todos juntos (mania que minha mãe colocou em mim desde pequena, fazer o que? rs)mas caramba, fiquei com medo do Zack nesse último conto, como assim o loirão ficou com cara de terror? Parece até a família De La Cruz da Christine Feehan (alguém conhece Os Cárpatos?), mas a gente perdoa não é verdade? Bjos!

    ResponderExcluir
  16. sorry rs esqueci de deixar o link

    http://marciaprios.blogspot.com/2011/01/expectativas-literarias-2011.html

    bjs.

    ResponderExcluir
  17. Debee: as pericpécias da Jessi, né? Vai que ela fez cara de louca também..XDDhuahaua, vou contar a piada do paraguaio no próximo conto...mas já vou falando..é besta! XDD

    Jessi: \o/ \o/

    Sabrina: haha, eu entendo..mas sai esse ano; não tem que esperar até 2012! =3 Aah, Zack tem seus segredos..na verdade quem leu o livro dois até sabe porquê! Hum, não conheço esses nãos..que nome grande! XDD Beijoos!

    Marica: fui! ^^

    ResponderExcluir
  18. hahahahahaha, adoro a piada do paraguaio!!!
    Vi, os contos estão cada dia melhores, se é que isso é possível!!
    Estou colecionando todos!!
    beijos
    Camila

    ResponderExcluir
  19. Aah, você conhece, né? hhahaaha! XD Uma hora o Zack conta aqui! AAh, valeu, Camis!! Isso significa muito pra mim! ^^

    ResponderExcluir
  20. vivi eu tava pensando esse tal ''chefe'' naum seria o zack?

    ResponderExcluir
  21. naum, eu naum acho pra compra
    vivi vc sabe um lugar aqui em sp em q eu encontre?

    ResponderExcluir
  22. Aah, Kinha, o dois ainda não está sendo vendido nas livrarias! Só comigo mesmo! Se quiser, me manda um email! ^^ Beijoos!!

    ResponderExcluir
  23. Como sempre arrasou né?! Mais alguns e vai dar pra fazer um livro!
    Claro que ninguem tem a intenção de pressionar a Vivi...só pq fiquei morreeeeeeeeeeeeeeeendo de curiosidade agora pra saber q piada é essa e todo o contexto que envolve ela, não quer dizer que eu vá pressionar ela, por mais que eu esteja ansiosa, curiosa e na torcida...não, de forma alguma, negativo! ¬¬"

    rsrsrs ADOREI!!! Bjusss

    ResponderExcluir
  24. Mais muitos! hahaha!só 15 contos até agora...mas vamos lá! ;D hauahuaa, okay, okay, vou acabar contando a piada do paraguaio em algum conto, mas como eu disse: só tem raça pro Zack! XD hahaha, sei...X3
    Obrigadaaa! =^^=

    ResponderExcluir
  25. Gente, eu estava conversando com o meu pai esses dias e eu descobri que tem uma cidade chamada Xangri-la aqui no RS... eu morri de rir. quem leu o livro 1 ou o conto 2 entende...

    quem coloca o nome de uma cidade de Xangri-la? G.G
    quem nasce em Xangri-la é o que? G.G

    ResponderExcluir
  26. AH, você ja pensou que daria pra fazer um livro só com contos??

    Amei o Conto 15 é um dos melhores \o/

    ResponderExcluir
  27. ameeeiii esse contoooo chefaaa! ! ^^ OMG,Jessi vem cá o zack tem irmão naum xará? zack eu queria vc mas já q jessi pegou a senha primeiro.... ¬¬ chefa uma dica dá uma de Jessi pra quem tiver te pressionando uai vira EXCÊNTRICA e manda eles para com isso,livro bom tem seu tempo e apesar de eu tá loukinha(mais q o normal ¬¬) pra ler criatividade tem seu tempo
    bjs chefa :*

    ResponderExcluir
  28. Isabela: hahaha, sério?? Eu nem sabia! XD Será...xangrilalense?? rsrsrs Já pensei sim! Estou pensando, mas ainda vai demorar um pouco..hehe! ^^; Aah, sério? Acha mesmo? ^^

    Jessi: hahaha, você é muito fofa, Jessi! Não sei se Zack tem irmão, mas cá entre nós, Deus jogou a forma fora! XD hahaha! Beijoos!!

    ResponderExcluir
  29. com ceerteezaa jogou a forma fora chefa :'(

    ResponderExcluir
  30. bem q podia ter jogado a forma aqui em casa kkkkk
    ei Vivianne quando vai sair o conto 16 já estou na espera faz um tempinho bjuss

    ResponderExcluir
  31. heuehue...aai, eu sei! Tenho que arrumar um tempinho! ^^;;

    ResponderExcluir
  32. Muito bom...ri demais kkk adoro seus contos!!!!

    ResponderExcluir
  33. kkkkkkkkk, serio, gostei muito desse conto, so nao entendo o que deu na cabeça dela pra sair entregando o pescoço assim do nada, pq nao é segredo que ela nao é uma boa caçadora.
    Zack como sempre foi incrível <3_<3

    ResponderExcluir
  34. kkkkkkkkk, serio, gostei muito desse conto, so nao entendo o que deu na cabeça dela pra sair entregando o pescoço assim do nada, pq nao é segredo que ela nao é uma boa caçadora.
    Zack como sempre foi incrível <3_<3

    ResponderExcluir
  35. Porque ela é tão doida quanto ele, deve ser... kkkkk

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.