Conto 7 - A caçadora

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Será que Zack vai aprontar ainda mais?? 


Conto Jessi e Zack – A caçadora
Vivianne Fair

Conto 7 - Lobis...o quê?

(Continuação do conto 6)


Já estava quase adormecida quando ouvi um certo tumulto do lado de fora. Sentei-me de imediato na cama, já murmurando ‘ai-meu-Deus-ela-vai-me-pegar’ e vi que Zack não estava mais na janela. Fiquei mais assustada ainda, até perceber que o que vinha do lado de fora não eram mordidas nem sangue esguichando. Era uma discussão.
– Então você existem mesmo? Minha nossa, eu jurava que eram histórias da carochinha...
– Carochinha? – respondeu um loiro alto, lindo e forte, com cabelos longos até os ombros – Quantos anos você tem, vampiro? 1000? 2000 anos? Que linguagem mais antiga!
– Olha como fala, seu poodle! Acabo com a tua raça antes que... ah, você não teve ter raça, imagino.
O loiro torceu o nariz. Bom, pelo menos não era a Samara, mas para Zack se sentir intimidado também não devia ser coisa boa. Ao menos era gato.
Ô lá em casa!
Todo ser meio sobrenatural é gato assim, é? Fiquei com vontade de me tornar uma fantasma.
Hum, provavelmente é o que vai acontecer se eu continuar vacilando assim.
– Opa! – ele sorriu, olhando para cima – Quem é essa?
Estremeci, e claro, me senti o máximo. Zack cortou meu barato.
– É minha caçadora! Nem dirija palavras a ela, ouviu? É a mim que ela quer matar.
Ele arqueou uma sobrancelha.
– Não seja por isso; eu posso ajudá-la se ela quiser.
Mas que tipo de homem era aquele? Quer dizer, ele descobriu que Zack era um vampiro e este nem ao menos tentou esconder minha profissão estúpida.
– Ela não precisa de ajuda – Zack cortou, pouco convincente.
Claro, só de olhar pra mim já dava pra perceber que sou amadora.
O loiro subiu na árvore frente à minha janela quase como se fosse um macaco e em poucos segundos estava cara a cara comigo.
– Olá, querida. Está uma noite linda, não é? Perfeita para matar um vampiro!
– Eu... hum... quem é você, hein?
– Sou um novo caçador da sua turma.
– Do Conselho?
– Do... é, sim, claro, desse Conselho aí.
– É mentira, Jessi! – Zack gritou, pulando e alcançando os pés do homem na minha frente e ambos caíram de modo espalhafatoso no chão. O cara usava uma capa vermelha e ela cobriu os dois ao cair. Deus, que cena tosca.
Meus sonhos de adolescente cheia de hormônios onde dois homens lindos brigavam por mim estavam totalmente arruinados. Bem, não que meus sonhos fossem perfeitos; um dos caras normalmente era um bombeiro e o outro invariavelmente um surfista.
Estiquei o olho para poder ver a briga, mas ambos se moviam muito rápido. Como não prestavam atenção em mim, procurei me equilibrar na árvore e saltar para o galho mais baixo mas, como é de praxe, caí antes de pensar em me apoiar. Dei um torção no pé, mas recuperei-me logo. Vantagens de ter o sangue de um caçador correndo nas veias: recuperação rápida.
É a única coisa decente que tenho, além de uma total inaptidão ao cargo.
Sinto-me como se fosse deputada.
Os dois nem prestavam atenção em mim, até o momento que tentei correr atrás deles e dei um grito daqueles quando um morcego deu um rasante em mim.
O loiro arqueou novamente a sobrancelha, parando imediatamente de lutar contra Zack.
– Você tem medo de morcegos?
– Liga não, Jessi – Zack continuou – É o Batman!
Os dois caíram na gargalhada e me senti uma total idiota.
– O que vocês dois estão fazendo lutando feito cão e gato? – cortei, ríspida, tentando tirar o foco de mim.
Zack caiu na gargalhada de novo, mas o loiro torceu o nariz.
– Vocês sabem o que o diretor vai fazer se vir vocês brigando desse jeito?
Os dois olharam um para o outro e depois pra mim.
– Jessi, a única pessoa que ia ficar em maus lençóis seria você. Sabe que seus trajes não são permitidos em qualquer lugar, não é?
– Talvez no México – o loiro arguiu.
Olhei para baixo. Eu estava de camisola rosa. AI, QUE VERGONHA!
Por favor, Samara, salve a vida da sua amiguinha! Apareça e me mate!!
– Ela fica vermelhinha! – o loiro riu, apontando para minha cara.
– Não é? Uma das características dela que mais gosto!
– Por que vocês não continuam brigando, hein?
– Cansei – o loiro suspirou – ele é imortal, eu sou mega forte e não vai levar a lugar algum. Sem contar que a lua está linda e eu tenho que me concentrar, se não vou acabar... você sabe.
– Não sei não! O quê? – perguntei, curiosa. 
– Vai por mim, Jessi, a julgar pelo cheiro de cachorro molhado, a visão não ia ser bonita...
– Ai, Zack – cortei logo, antes que ele começasse a me sacanear – se vai começar a falar de Crepúsculo de novo e ficar me zoando eu juro que vou...
– Dou o braço a torcer.
– Você... o quê?
Ele esticou um olhar para o loiro, que estava se contorcendo.
– Eu não acredito nisso, mas... os contos de fada são verdade. Bem, exceto a parte que vampiros brilham. Faça-me o favor.
– Traduz, por favor? – gritei, exasperada.
– Olha, eu vou mostrar!
Ele pegou uma vara no chão e começou a cutucar o homem loiro. O cara começou a ficar irritado mostrar os dentes, parecendo meio tenso.
– Para com isso! Tenho que manter minha concentração!
– Na boa, deixa de ser chato! Mostra aí!
– Não!! Eu posso perder meu autocontrole e aí...
– Aí eu te desço o cacete! Mostra aí pra ela, vai! O que custa?
O loiro lançou-lhe um olhar confuso e depois me mirou. Eu devia estar hilária de camisola, cabelo bagunçado e descalça na grama, porque ele pareceu se segurar para não rir.
– Você se impressiona fácil?
Eu engoli em seco e Zack respondeu por mim.
– Essa aí se assusta até com aquele filme lá, o Grito. Mas mostre a ela; pode ser que um pouco de choque a faça ser mais corajosa.
O loiro sorriu e ergueu-se. Zack aproximou-se de mim e sussurrou ao meu ouvido:
– Olha só que show, Jessi! E a gente não vai precisar pagar nada!
– Olhar o quê, seu pirado? Um cara que parece estar com dor de barriga à luz da lua?
– Bom, enfim, eu nunca vi nada assim, mas acho que deve ser interessante! Digo, o que ele vai fazer agora, não ter dor de barriga á noite, que de interessante não deve ter nada.
De repente o homem começou a se encurvar e ficar maior; as roupas começaram a se esticar e rasgar.
Hum, taí uma coisa que eu também não tinha percebido antes. Ele tinha pêlos no peito. Marrons? Putz, o cara é oxigenado? Que pena, pensei que era loiro natural... e pelo visto também tem pêlos nas pernas, nos braços, nas costas... onde está aquela onda de que homem precisa se depilar? Parece que esse cara nem sabe o que é uma lâmina faz é temp...!
Ai, minha nossa. Corro pro mato ou corro pro morro??
O loiro havia virado um animal fantástico, imenso, com focinho esticado, olhos vermelhos e garras gigantescas!
– Um... um... lob...lob....
– ... Lobisomem! – completou Zack, com gosto – Eles são tão feios, né, jessi? Ainda mais do que nos livros!
O ex-loiro torceu o nariz.
– Não sou feio não, senhor. Você que é pálido e parece andar de maquiagem. Pelo menos eu tenho aparência de macho. E depois, você que é feio, pelado desse jeito.
Quem dera se estivesse!
Hum, desculpa, escapou.
Zack apenas riu e passou as mãos no dorso dele, como se fosse um cão.
– Que fofo! Será que é treinado?
O loiro fechou o semblante e urrou para cima de Zack.
– Respeite-me, vampiro idiota! Engulo você numa mordida só!
– Ah, fala sério – Zack deu um sorriso enigmático e pareceu-me ver o lobisomem estremecer.
Ele recuperou-se, entretanto, e deu um suspiro cansado. Zack estava mais que animado.
– Responde aí! Tem mais de vocês por aí? Andam em bandos, vigiam as portas das casas...?
– Zack – precipitei-me, antes que ele conseguisse ofender definitivamente o cara, bicho, sei lá – nem todos gostam das suas gracinhas.
– Na verdade vim acompanhado de uma da minha raça... posso chamá-la, se quiserem.
– Nem pense nisso! – gritei, antes que me desse conta. Percebendo que pareci um pouco exaltada, consertei – Não quero nenhuma lambisgóia, digo lobisgóia, dando em cima do meu vampiro! ...E os dois estão rindo por causa do quê, hein?
– Lobisgóia... hahahaha! ­­– respondeu o ex-loiro.
– Meu vampiro! – respondeu Zack, me deixando vermelha. Ai, dei outro fora – Você sempre declara seu amor por mim e não quer admitir.
– Ai, vamos parar com isso! Daqui a pouco Stephenie Meyers aparece por aí, exigindo direitos autorais! – retruquei sentindo minhas bochechas arderem.
– Não, acho que não – respondeu o ex-loiro – Afinal, eu não me apaixonei por você, desculpe. Você é meio pelada demais para meu gosto. E não estou me referindo à sua camisola.
Idiota. Espera eu ficar um mês sem depilar.
– Bem, acho que a gente podia se divertir o resto da noite, o que acham? – Zack deu outro daqueles sorrisos misteriosos que indicam que vai aprontar.
– Do que está falando? – respondi, com medo. O lobisomem parecia já estar meio aborrecido com as piadinhas e sua respiração saía pesada.
Puxei meu vampiro caçado de lado.
– Zack, eu sei que você não tem um pingo de bom senso, mas se ficar irritando o cara aí, a gente acaba num mato sem cachorro, me perdoe o trocadilho. Ele não parece estar muito animado de estar aqui sendo provocado por você.      
– Ah, Jessi! Que falta de fé em mim... e depois, ele não pode comigo.
Mas pode comigo, oras! Ô se pode!
– O que está fazendo aqui na universidade? – perguntei ao ex-loiro, disfarçando e tentando ser mais amigável. Ele realmente parecia estar sofrendo para se controlar. Até o Fera da Bela e a Fera parecia ser mais tranquilo.
– Entrei no jardim por engano, quando tentei fugir de uma guarda. Eu... estava... caçando e me separei do bando.
– Gatos? –­ Zack disse e eu sentei-lhe uma cotovelada  – Sua bruta! – ele murmurou rindo.
O lobisomem mostrou os dentes.
– Comida. No momento, qualquer carne fresca pode ser comida.
Ele lançou-nos um olhar significativo.
– Não olhe pra mim – Zack sorriu – eu não sou fresco já há muito tempo. E digo isso em todos os sentidos. Quer dizer, eu nuca fui fresco em nenhum sentido.
– E eu já tenho quase trinta! – retruquei.
O lobisomem suspirou e se contorceu novamente. Minha vontade era de correr até meus pulmões estourarem. É claro que Zack facilitou meu desejo, quando esticando para pegar uma vareta no chão, apontou-a para o focinho do lobisomem e tacou o pedaço de pau longe gritando: ‘PEGA TOTÓ!!’
Devo estar correndo até agora. Da última vez que ouvi alguma coisa além do sussurro do vento foi uma mordida e uma risada, mas nada além disso. Zack pode se virar já que o imbecil é imortal, mas e eu? Quero viver pra pagar minhas contas!
Quer dizer, vai ser a última coisa que quero fazer na vida, mas ainda assim, quero viver até lá.
Posso jurar que ouvi a respiração do lobisomem na minha pele, que nem a do Alien naquele filme. Minha nossa, preciso mesmo parar de ver filmes de terror!
Vampiros, lobisomens... o que mais falta?
Zumbis, claro. E do jeito que tenho sorte vão vir acompanhados da minha amiga do peito, Samara.

 Vivianne Fair

Leia Mais ►

Resultados dos concursos do mês!

Pra começar, miil desculpas pelo sumiço!!
Todo mês de maio é um problema pra mim! É que é o mês mais atarefado do ano!! Todo ano eu tenho um grupo de teatro que se apresenta, chamado Final Fanta - Sim, assim que receber o video e meu amigo pôr as legendas eu coloco aqui! rsrs!

Outra coisa! Sabiam que eu ganhei o concursoooo de cosplay? (fantasias de anime, mangá e games na maioria das vezes) Por isso que andei tão atarefada...estava fazendo dois cosplays e ainda um par de asas gigantes!! Não é fácil, né? rsrsrs! Bom, ganhei um nintendo Wii...preciso dizer que meu filho simplesmente adorou?? kkkk!


Eu vou postar as fotos, os videos e tudo o mais num post separado! Pra compensar vocês, vou atualizar todos os dias!!Viu? Sou boazinha demais! Claro que não ia deixá-los órfãos...u.u

Hoje os resultados e um conto!!

Começando:

1- Promoção do livro Pobre não tem sorte da autora Leila Rego!!


E o(a) Vencedor(a) foi....


PARABÉNS ANGELA TORRES!!! VOCÊ TEM SORTE MESMO!! Não deve ser pobre...hehehe!!!


_____________________________________________________________________________
2- Promoção do livro Cavaleiros do RPG/ Quem precisa de heróis? - edição de colecionador!!


E o(a) vencedor(a) foi...


Parabéns, Elena Bessa!! Depois me diz o que achou, hein?? rsrsrs!!!

__________________________________________________
3- Promoção Como Treinar seu dragão

E o(a) vencedor(a) foi...


Parabéns, Carla Carolina Ferreira!!! Você vai saber como treinar o seu dragão agoraa!! =D 

Gente, por enquanto acabou, so sorry!! Mas olha...essa semana e na outra vão entrar mais cinco promooos!! Fiquem atentos!! =D

Beijoooss!!





Leia Mais ►

Dicas para novos escritores ou aspirantes!

terça-feira, 11 de maio de 2010

Bom, por que eu resolvi escrever esse post? Porque sempre estou recebendo e-mails de pessoas que querem saber como se lançar, que querem ser escritoras, etc... então acho que vou resumir aqui tudo o que sei, com algumas perguntas que me fizeram e achei importantes!

Não me considero veterana nem expert no assunto, mas acho que posso ajudar com o parco conhecimento que tenho e que me ajuda bastante! Vamos lá!

Pra começar:

1- VOCÊ NÃO VAI SER FAMOSO DE CARA! 
Não fique aí achando que vai escrever um livro e acabar como uma J.K.Rowling da vida ou uma Stephenie Meyers...As duas, assim como Meg Cabot e tantos outros autores consagrados receberam muuuitos "NÃOS", ou nem receberam resposta alguma. Mais de 30, algumas vezes! E demoraram anos para ser reconhecidos; sabia que Rowling vendia Harry Potter de porta em porta e Crepúsculo foi lançado em 2001(não lembro bem a data, mas faz tempo! rs)? Pode ser que seu livro faça sucesso ou pode ser que não. São lançados mais de 2000 livros no mercado todo mês, você sabia? Isso não é pra desanimar ninguém, viu? É só pra vocês verem que não é pra desistir na primeira tentativa! É difícil, mas não impossível. Eu sei que competir com livros estrangeiros não é fácil, ainda mais porque na infância fomos obrigados a ler coisas e autores que não gostávamos. Tsk!

2- SE INFORME, MELHORE SUA ESCRITA! 
Eu não comecei sentando na cadeira e dizendo: vou ser escritoraaaaa e pari um livro...kkkkkk! Quando criança eu escrevi vários (oh, Deus, que vergonha deles!!), e sempre sonhava ser uma grande escritora (e detetive, artista, dançarina, cantora, atriz, professora - modelo não porque modelo não podia comer chocolate), mas não me limitava. Escrevia sem pensar em publicar. Não cobre muito de si mesmo, mas sempre busque melhorar. Eu li muitos livros sobre como ser um bom escritor, me informei sobre editoras, estudei redação, LI MUITO, li meus textos com olhos críticos, etc. Sempre me mantive informada em relação ao mercado.

3- NÃO MUDE SEU ESTILO PARA AGRADAR NINGUÉM!  
Se você escreve romance melhor, manda brasa, ou ficção, policial, que seja. Não se force a fazer diferente para acompanhar o mercado, porque nunca vai parecer natural!

4- NÃO MANDE QUALQUER UM LER SEU TEXTO! 
Não escolha pessoas como mãe, pai, irmão, primo, cunhado, amigos do peito. Eles vão dizer coisas pra te agradar. Escolha escritores, amigos mais distantes, colegas - que estejam prontos a te ajudar. Não entregue o texto completo - o roteiro é seu - entregue parte dele (umas dez a vinte páginas) para pessoa ver se é empolgante, a narração está boa, coisa assim. Se você entregar o texto todo é capaz da pessoa nem se animar a ler e dizer que gostou só pra fazer de conta que leu! rsrs! 

5- ESTEJA PREPARADO PARA RECEBER CRÍTICAS.
É, eu sei, essa parte não é fácil! rsrsrs! Mas pensa assim, nem Jesus agradou a todos, certo? Nem todo mundo gosta de Crepúsculo e Harry Potter! Tem gente que ama livros que eu detesto!! Mas pense bem: não se deixe atingir por críticas negativas. As construtivas são ótimas, mas as negativas que só dizem 'não gostei' 'não achei legal', ignore. Não vão te fazer melhorar? Então não prestam. Isso também não quer dizer que você vai mudar porque recebeu uma ruim. Vê se mais pessoas concordam. Deixe bem claro que receber críticas é importante pra você e que você não vai se magoar. No começo é difícil, mas você se acostuma! rsrs
6- REGISTRE SEU TEXTO.
Essa pergunta é campeã: onde registro? Devo registrar? É bom que faça isso, mas não é de se desesperar, viu? Não fique achando que você escreveu e alguém vai te passar a perna no dia seguinte...rsrs! Para registrar é coisa super simples! Vá na biblioteca nacional e diga que você quer registrar uma obra. Aqui em Brasilia só preciso de xerox da carteira de identidade e cpf (acho) e o seu texto todo impresso e com todas as páginas rubricadas, a primeira e a ultima assinadas. É um saco, meus textos tem mais de 200 páginas...u.u Tem que pagar uma taxa de $30,00, acredito, mas o preço pode variar. Se quer sua consciência tranquila, é melhor, rsrs! Aqui está o link com tudo o que você precisa! Biblioteca Nacional

7- NÃO MANDE SEU TEXTO COMPLETO E SEM FORMATAR PRA NINGUÉM!! 
Volta e meia eu recebo uns assim. Não faça isso! Eu sou uma boa pessoa (mamãe não acha, mas sou sim, viu??) mas você pode encontrar pessoas ruins por aí. Se quiser seu texto avaliado por alguém, mande só uma parte dele e formatado. Vai em word >> home >> prepare >> mark as final (o meu é em inglês, hehe) e manda só uns dois ou três capítulos. No caso de editoras você DEVE mandar inteiro. Mas antes, entre no site da editora e vê o que ela diz sobre mandar a obra: se está aceitando, - veja se a editora é confiável - como ela quer que mande...algumas editoras preferem os textos pelo correio, outras preferem por email. Pesquise antes de enviar, para você não perder o seu tempo nem o dela. E deixa eu te dizer: nem todas lêem e algumas o prazo de resposta é de até 1 ano. Então mande para muitas; não fique sentando esperando entrarem em contato com você! Mas preste atenção nas editoras para as quais você manda! NUNCA DISPONIBILIZE SEU TEXTO INTEIRO NA NET A NÃO SER QUE VOCÊ NÃO TENHA INTENÇÃO DE PUBLICÁ-LO. Editora alguma vai se interessar em publicar se ele já anda por aí. Afinal, caiu na rede é domínio público!

8- TIPOS DE EDITORA - importante
Existem dois tipos de editora; a tradicional, que é a que publica livros e os distribui para todo o Brasil e as editoras por demanda. 
Qual é a melhor? Tem muitos autores que querem ser lançados para o Brasil todo - tipo eu também, rsrs; mas isso não quer dizer que seja o melhor!

vantagens e desvantagens da editora tradicional: 
  • a resposta demora ou nunca vem;
  • você ganha cerca de 7% a 10% em cima de cada livro. Coisa de $3,00;
  • você vai ser publicado em todo o território nacional;
  • você só recebe uma vez ou duas vezes por ano, rsrs
  • o seu livro pode sofrer alterações - normalmente eles te avisam sobre elas: capa, alguns capítulos, etc;   
vantagens e desvantagens da editora por demanda:
  • seu livro vai ser distribuido por você mesmo e não para as livrarias do país;
  • você decide quanto cobrar e quanto receber; na maioria das vezes, você lucra muito mais vendendo por conta própria porque você decide quanto vai lucrar;
  • a divulgação é por boca em boca, ou por sites.
  • você decide exatamente como seu livro vai ser e o que vai ter;
Eu não acho que uma ou outra seja mais importante, embora eu ache que uma tradicional vai lançar você no mercado e fazê-lo conhecido! Tenho duas editoras: uma por demanda que é a Lexia, que eu adoro e a outra é tradicional, que é a editora Draco agora, que eu também adoroo, porque as duas confiaram no meu trabalho!  

9- COMO COMEÇAR A ESCREVER UM LIVRO (meu método de trabalhar):
  • anote todas as cenas que imaginar, nome de personagens, ideias para outros livros, etc. Tenha um caderninho sempre à mão. Não importa onde nem quando vir a ideia; anote! Pode ser que ela não volte! rsrs!
  • procure organizar mais ou menos seu roteiro com um resumo. Exemplo, pensei em uma história sobre um alien vindo à Terra e se apaixonando (que?) por uma terrestre. Então escrevo mais ou menos no que consiste a história - ele cai de uma nave espacial, ela está na escola, ele pula o muro, eles se encontram, ela foge..etc. Se ainda não pensou num final, não se desespere. Ele acaba vindo. Se não está conseguindo mais seguir seu roteiro, ótimo. Isso também pode significar que seus personagens estão criando vida e fazendo escolhas, isso é bom! Por exemplo, eu planejava matar um personagem no meio da história, mas ele escapou...fiquei tão assustada que resolvi deixá-lo vivo...kkkk! Sim, é verdade...O.o
  • Defina bem as características de seus personagens! Descreva-os, imagine-os, ponha o que els gostam e o que não gostam; lembre-se de pôr personagens que animem as pessoas; ninguém quer ter como protagonista um personagem que vive reclamando de tudo, por exemplo! Mas procure seguir a sua personalidade. Não ponha uma menina timida que pula o muro da escola pra matar aula!
  • Se surgir ideias para outros livros, apenas anote; anote tudo o que imaginar. Mas se as ideias não te deixarem, esqueça o que você estava fazendo antes e escreva esse. É sempre bom se concentrar em um livro só! 
  •  Fique pensando no livro, imaginando as cenas que escreveu, nos personagens, em o que ele fará se acontecer isso ou aquilo. Se a cena que você pensou vai fugir muito do seu roteiro; melhor esquecer. Não encha linguiça! Ninguém quer saber se sua personagem vai lixar as unhas enquanto assiste a novela e pensa no vestido da liquidação em 5 páginas! 
  • Não copie livros existentes; mesmo que você tenha achado o assunto legal. Plágio é crime, mesmo que você o reescreva com suas palavras! Se você contar a história de um vampiro e um lobisomem que se apaixonaram por uma menina (*cofcofcrepúsculocofcof*) vai parecer falta de imaginação e você pode ser muito criticado por isso, chegando ao ponto de até ser desrespeitado. Se o texto que você escreveu é parecido com algum livro, leia este conselho: mude! =/   
 10- SEJA SIMPÁTICO E NÃO TENHA INVEJA DE QUEM CONSEGUIU!
Estranho esse, não é? rsrs Mas é verdade! Seja gentil com as pessoas sempre; mais por bom coração do que para ter a vantagem de que ela te divulgue ou coisa assim. Melhor que publicar e ver pessoas lerem seus livros é ter muitos amigos. Mas acima de tudo, respeite quem não gostar. Difíiicil não ficar triste, claro, mas fazer o quê? Não vá atrás dela dizendo para ela fazer melhor! hahaha! Se ela te desrespeitar, ignore. Não bata boca, mesmo porque se você ficar famoso não vai querer ficar conhecido como alguém que não respeita os outros, não é mesmo? Hum...isso me lembra que devo tomar conta do meu pavio curto em relação a outras coisas... kkkkkk! E você sabe que quem conta um conto aumenta um ponto. Pessoas que aparecem demais acabam por ser um exemplo para outras, você sabe. Olha a mídia!!
Não seja invejoso. Não é porque aquele autor conseguiu publicar e você não, você vai falar mal da obra dele ou não vai querer ler. Lembre-se de que um dia você pode estar na mesma situação. Não difame a obra sem nem ao menos ler ou conhecer, nem persiga o autor em sites fazenbdo resenhas negativas. 

 11- TERMINE SEU LIVRO, MAS NÃO SE FORCE! 
Se as ideias não estão vindo, escreva pequenas cenas de seus personagens, com ou sem intençao de inclui-las na história. Não fique ansioso. Largue, simplesmente, por um tempo, se você não se empolgou. Aliás, se você não se empolgou, releia o texto. Pode ser que ele não esteja empolgando. Nesse caso, acrescente alguma coisa que dê um rumo à história e que te faça pensar pra fazer! Escreva várias ideias que vc pode incluir na história, até ideias loucas: a personagem é sequestrada por uma lata de lixo gigante; o mocinho descobriu que se apaixonou por sua imagem no rio, mas percebeu que de Narciso não tinha nada, invente! Sua mente vai começar a dar voltas e você acaba conseguindo!
Mas não largue totalmente!! Fique pensando na história, mesmo que não esteja escrevendo! Se largar de vez você não vai voltar pra pegar, acredite em mim! rsrs 


12- DIVULGUE SEU TRABALHO!!!
IMPORTANTÍSSIMO!!! Você tem que divulgar, independente se sua editora é tradicional ou não. Se não tem tempo para manter e cuidar de um blog, mande seus livros para blogs para que façam resenha ou sorteio. Não faça spam na caixa de mensagens dos outros, mas pode mandar emails para alguns e pedir para passar pra frente! Use a imaginação para impulsionar as pessoas a lerem. Um bom livro vai fazer sucesso por si só!!  

13- ACIMA DE TUDO, NÃO DESISTA! 
Não é fácil, claro! Mas quando a gente quer algo, tem que lutar pra conquistar. Só depende de você tornar seu sonho real; não fique se lamentando se não deu certo; quando tiver que ser será!! Se acha que vai dar trabalho, então nem invista! Mas se é o que quer, lute! Confie sempre!! =D

Hum, não sei se escrevi tudo...mas caso ainda tenham alguma dúvida eu posso tentar responder! rsrs!  Espero ter ajudado! Passei mais de uma hora aqui com tanta coisa pra fazer!!! kkkkkkkkkk!!

Beijooos!!! 
Em breve promo de dois liiivrooos!! \o/ Esperem eu ler e fazer resenha..rsrsrs!
 
Leia Mais ►

Novidades, novos parceiros e book trailer!!!

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Aai, eu sei que tenho escutado reclamações de gente que acha que não tenho vida e tenho que postar todo dia! kkkkkkkkk....brincadeirinhaaa! É que ando meio às pressas com um teatro; tenho que fazer fantasias, é fogo! Mas pode deixar, essa semana ainda vai ter mais contos, mais quadrinhos e uma promo legal da Jessi!

Mas vamos ao que interessa, shall we?

1- Dêem as boas vindas aos mais novos parceiros do blog!!!








Elas já mandaram livros para resenha e promo!! Só estou aguardando para sortear agora!! Uma salva de palmaaas! *clapclapclap* *e a galera grita uaaaaaaahhh*  tá, parei! rsrs

2- Um querido amigo meu, o Kane Ryu escreveu um conto sobre Jessi e Zack...olha que fofo! Só clique no banner e leia lá na página do Kane Ryu!  Mas antes que comecem a empolgar em fazer o mesmo:  

 Primeiro, antes de publicar, peça a minha aprovação: Jessi e Zack são registrados; você não quer correr o risco, né? E olha que nem sou eu que vou atrás...é o próprio sistema de direitos autorais!  

Segundo: não separe Zack e Jessi!! Tenho ciúme deles, viu?  Não vou aprovar conto nenhum se for assim! Nada de fazer o Zack casando com você, hehe!

Terceiro: mande o link, para que eu possa salvá-lo aqui e dizer que fui informada!!

Esse conto NÃO foi escrito por mim; não se confundam, mas achei muito legal, prestigiem! rs:


3- Agora olha que shoooooww!!! Já ouviram falar de book trailer? É como o trailer de um filme, mas no caso você utiliza imagens para um livro! Quem fez esse maravilhoso video para o "Quem precisa de heróis" foi a queridíssima Anny Lucard, que também faz os audiocontos para a rádio! É super rápido, você pode ver rapidinho! Adorei, Anny, você é mega talentosa!! E ela ainda está fazendo o da Caçadora; mas estou fazendo os desenhos ainda... u.u








Ufa, agora me deixem trabalhar!! hehehehe!!

Beijoos!! Volto logo!! rs!!
Leia Mais ►

Caçadora volume 2

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Post fixo! ;) 

capa do segundo volume:





antiga capa (esta só é possível comprar comigo): 




Contra capa:

– Você seria capaz de se tornar vampira para ficar comigo, Jessi?
Engoli em seco. Baixei os olhos momentaneamente e senti-me sem graça.
Quer dizer, eu realmente gostava de Zack e só Deus sabe o quanto eu queria ficar com ele. Mas eu seria mesmo capaz de cometer besteiras como meninas apaixonadas fazem? Afinal não seria algo como fazer uma tatuagem com o nome do cara, fugir pela janela escondido ou dar um pulinho para ver o apartamento novo do namorado. Seria algo do qual eu poderia me arrepender para sempre.
Literalmente falando.
Sem contar que todos os casais costumam sofrer crises. Imagine a crise dos sete anos. Se nós dois vivêssemos para sempre, isso significaria que a crise dos sete anos se repetiria a cada sete anos? Ou 77? 777? 7777? Estaríamos juntos assistindo de camarote o apocalipse?
Nossa, e se ele enjoasse de mim? Se me trocasse por uma lambisgóia vampiresca qualquer com cara de anjinho ou algo do tipo? Afinal ele já vira deusas egípcias. Viu até homens mais lindos do que eu.
Cara, que coisa chata ser a caçadora do vampiro mais lindo do mundo.

Orelhas:

Se o amor pode parecer uma piada, que ao menos seja bem contada.

Agora a história de Jéssica complicou de vez! Como se já não bastasse ser uma caçadora de vampiros incompetente – mas que se veste muito bem –, o mestre do Conselho de caçadores se mete entre ela e o seu namorado, o vampiro Zack. E ele não é o único: Eric, o bebedor de sangue que ela devia ter caçado antes resolve dar as caras. E o pior é que ele não é bem um vampiro, mas alguma coisa sobrenatural que não quer se revelar.
Quando Jessi comete um crime para poder ajudar seu querido Zack, envolve mais um monte de gente na história e ainda corre o risco de revelar sua identidade de caça-vampiros e morrer de vergonha. Ou passar por doida varrida.
A Caçadora – Sussurro das Sombras é o segundo romance da trilogia A Caçadora, de Vivianne Fair, autora que conquistou fãs pelas suas divertidas comédias românticas cheias de referências à cultura pop.



Quem quiser comprar o volume 2 da Caçadora, mande-me um e-mail (vivi.fantasy@gmail.com)


                                     Como adquirir?                                                                     


O valor do livro 2 é $39,00 (frete incluso)
1- Comigo! Depósito ou transferência - No caso é só mandar um email pra mim!! vivi.fantasy@gmail.com

2 - Caso queira comprar pelo cartão de crédito ou boleto, aqui está o direcionamento! 



Quant.:
  
Frete Grátis

3- 

PapelAmazon | Comix | Cultura


E-bookAmazon Kobo | AppleSaraiva | Google | Cultura



Viu? Facilitei!! rsrs! Beijos!
Leia Mais ►

Promoção Ela foi até o Fim! - ENCERRADA!

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Gente, que sonho lançar essa promo!! Esse livro é tudo de booom!! Leia aqui uma resenha completa sobre ele!!





A nossa querida editora Record está presenteando vocês com esse livro maravilhooosooo!! Vocês tem que participar!! 



                            Como participar?

1- Ser seguidor do blog >> só clicar na caixinha ao lado, onde diz "seguidores" - basta ter uma conta no yahoo, gmail ou twitter! 

2- Fazer um comentário nesse post dizendo: "Por esse livro eu vou até o fim!!"
Cada vez que preencher o goggle docs ponha um novo comentário!! Só pode preencher o google docs mais de uma vez se for com link de divulgação!!

3- Preencher o google docs aqui abaixo!!

4- Se for divulgar no twitter, a promo é válida a cada 12 horas de distância de um comentário pra outro, tá? Poste o link que diz "seconds ago" logo abaixo do seu comentário!  Poste isso aqui!

#promoção do livro "Ela foi até o fim" da Meg cabot no Recanto da Chefa!! @viviannefair e @editora_record Participe!! http://goo.gl/fb/jsJLZ

5- Se for divulgar em blogs, o banner é esse aqui! ^^












Preencha o google docs aí embaixo OU aqui!






                                     Resultado

A promo começa hoje, dia 03/05/2010 e vai até o dia 03/06/2010!! Tem um mês pra divulgar!!
Boa sorte!


Beijoooss!! Esse livro vale muito a penaaa!!! *_*
Leia Mais ►

Ela foi até o fim

      MEGA PERFEITO!

Ela foi até o fim - autora Meg cabot - editora: Record

Sinopse: "Uma roteirista de sucesso que já contribuiu para vários filmes de ação que renderam milhões de bilheteria - ela até ganhou um Oscar! O problema é que seu namorado, o grande astro do filme, resolveu trocá-la pela estrela principal! E agora Lou terá que provar que conseguirá passar por tudo para esquecê-lo e, no caminho, talvez até encontre o verdadeiro amor."






PRA MAIORES DE 18 ANOS, VIU??

Então...Pra começo de conversa, eu já sabia que a Meg arrebenta. Mas esse livro... Pra começar..é um dos meus mais novos livros favoritos da Meg! Reúne tanta coisa! Eu achei que ia ser mais um romance fofo, mas vai além disso. Primeiro porque o romance é quente! Que Zack não me ouça, mas a Meg está ficando safadinha..hehehe!
O livro conta a história de Lou Calabrese, uma roteirista que já tinha ganho o Oscar com um filme que ela lançou para promover o namorado, Barry (agora chamado de Bruno di Blase para dar ibope) e o cara acabou casando com a atriz Greta que era sua namorada no filme! Isso é no começo do livro! Lou fica frustradíssima, lógico, mas continua tocando a vida e escrevendo seu romance. 
Lou então resolve ir ao local das filmagens do seu novo filme, para impedir um ato ambiental (vão explodir uma mina e acabar com a vida das raposinhas só pra fazer uma cena no filme). Só que o ex da atriz Greta, (um cara que Lou simplesmente odeia e que é ator no filme da própria Lou inclusive) vai ter que ir junto no mesmo avião... e eles acabam sofrendo um atentado e acabam no meio do Ártico sozinhos!!

Se você acha que é mais um daqueles clichès em que dois amantes ficam no meio de um paraíso tropical, esqueça! Primeiro porque eles tem que lutar pela sobrevivência e além de sofrerem correndo o risco de uma hipotermia, ainda tem que lutar com os atentados que o ator vem sofrendo no meio do Ártico!! Lou é outra que quer matá-lo, só não consegue pensar nisso porque ele é terrivelmente charmoso e gato..hehehe

Quem acha que falei demais e dei spoiler, não se preocupe! Boa parte do que falei já está escrito parecido na orelha do livro! E por incrivel que pareça...tudo isso acontece nas primeiras páginas! Meg reuniu tudo nesse livro: romance, ação, comédia, cenas quentes, suspense, policial... é um dos poucos livros que já terminei na vida com vontade de começar a ler de novo!!  

Vou te contar...todo mundo aí sabe que minha série favorita dela é a Mediadora? Esse empatou! Mas atenção às adolescentes de plantão... esse livro tem cenas beem quentes... não estou reclamando, é só pra terem isso em mente. Sozinhos... no meio do Ártico...ele é gato... ela está meio carente...hehe! 

Cara, quem gosta da Meg corra atrás desse livro!! Quem não gosta ou não conhece... corra também! Com certeza vale a pena!! AMEI!! Meu novo livro de cabeceira!! *_*
Leia Mais ►

Conto 6 - A caçadora

sábado, 1 de maio de 2010

 Estamos de volta! :P



Conto 6 - Quem tem medo de filmes de terror?

Conto dos personagens do livro A caçadora de Vivianne Fair

Sofia bateu na minha porta batucando na madeira, como sempre. Sempre tem que soar uma música do estilo psicose quando ela toca?
– Boooa noite, chefaa!! Vamos lá pra sessão de filme?
Dei um suspiro. Chefa. Que apelido idiota elas me deram.
Detesto prometer coisas para otakus[1]. Eles não esquecem; parece que tem um arquivo no cérebro que guarda tudo, desde as promessas idiotas até todos os episódios de todos os animes que lançam no Japão.
Eu prometi assistir um filme japonês com elas desde que roubaram um chocolate da cantina pra mim. Na hora eu estava ocupada correndo atrás do Zack com uma serra elétrica.
Sim, eu sei que isso não mata vampiros, mas dor era tudo o que no momento eu queria causar. Ele desenhou nas paredes do meu quarto! A faxineira da universidade quase teve um troço.
Bem, eu acompanhei Sofia pelo corredor e entrei no quarto delas, sentindo logo o cheiro de yakisoba e acenando para Estela, Dine e Bobby que também estavam lá para assistir.
Só que travei na porta.
– Boa noite, safadinha!
Meus lábios tremeram antes de conseguir falar. Ele estava à vontade jogado no meio das almofadas, com uma calça escura jeans meio apertada e uma blusa preta meio aberta.
– O q... o que ele está fazendo aqui?
Zack sorriu para me deixar desconcertada como sempre e bateu a mão ao lado dele no chão como se indicasse onde eu deveria sentar.
– Aah, chefa – disse Estela ao ver minha cara de horror – ele ia ao seu quarto, mas já que a Dine contou a ele que você vinha assistir a um filme com a gente ele se auto-convidou.
Que surpresa. O mais engraçado é que eles sabem que somos caçadora e vítima... e não estão nem aí.
– Vocês podem dar uma trégua na caçada, não é, Jessi? – pediu Bobby, com uma cara engraçada.
– Se ele não me provocar, eu fico na minha – respondi, com os olhos fixos refletindo ódio.
Zack sorriu.
– Eu já disse que não te provoco; você que não consegue tirar as mãos de mim.
– Faço isso porque tenho que te matar.
– Tanto faz – ele riu.
O pior é que admito; mesmo que não fosse pelo fato de ser sua caçadora, eu não ia conseguir tirar as mãos dele. Deus foi cruel juntando tanta beleza num homem só. Ai, ninguém merece!
Movi-me pela sala sem graça e sentei-me ao lado dele, já que era o único lugar vago. Percebi que ele coçava a perna sem parar.
– A pele está apodrecendo?
– Tão doce, Jessi –  ele retrucou, piscando – É essa calça jeans que vocês usam. Minha nossa, esse troço coça! E as meninas disseram que não existe numero maior que esse. Como pode? Fica apertado assim mesmo?
– Mas isso não é numero 40? É logico que existe...
Sofia deu uma piscadinha pra mim. Ah, minha nossa. Elas passaram a perna no vampiro para ele ficar com a roupa coladinha? 
  Por que isso de usar calça jeans agora? – perguntei, procurando disfarçar.
– Eu só queria... sei lá, parecer mais com vocês... ou talvez entrar no seu estereótipo...
– Meu estereótipo?
– Bem, sim, vampiros pra você não andam só de preto e costumam se misturar com as pessoas para atacá-las em seu ambiente?
Ele fez isso pra me agradar? É sério?
– Por que você fez...
– Eu estava entediado – foi a resposta que ele deu.
O filme começou e eu ainda estava toda boba. Ele se veste de preto pra me agradar! Ele usou calça jeans pra se enturmar com meus amigos doidinhos! Ele fez isso...
Ai, não, o filme é de terror!
Na mesma hora gemi baixinho e ele me olhou intrigado.
– Você está bem?
Eu falei, mas acho que ele não ouviu e se aproximou. Pude sentir o hálito meio frio dele em minha orelha e estremeci.
– Terror! – soltei, cerrando os dentes – A droga do filme é de terror!
– E daí? É bom pra abrir o apetite!
Eu sacudi a cabeça nervosa. Não podia demonstrar fraqueza na frente dele. 
Bom, pelo menos não mais uma. 
Limpei a garganta.
– Bem, eu não sou muito chegada em filmes de terror, só isso.
Todos se calaram e as cenas do filme corriam comigo roendo as unhas. Ai, pra que aceitei isso? Por que não perguntei qual era a droga do filme antes de descobrir que eu ia assistir agora o filme versão japonês de O Chamado?
Admito. Tenho pavor, horror a esse tipo de filme. Sou super impressionada e mal durmo à noite.
Bem, não que Zack me deixe dormir à noite de qualquer forma; acha que meu quarto é barzinho que fica aberto até altas horas pra bate-papo ou coisa assim.
De repente começaram as cenas fortes. Estela, Sofia e Dine davam gritinhos; Bobby só soltava um palavrão de vez em quando. Zack ria. Eu escondi minha cabeça entre as mãos e gemi.
Eu mato essas meninas. Eu mato Zack, as meninas e os produtores dessa droga de filme. Isso se a Samara, a monstrenga vilã do filme, não me matar. 
Samara é sua imaginação, disse meu cérebro. Essas coisas não existem.
Mas Zack existe, não é? Ai, então ela tem tudo para existir!
De repente senti uma mão em meu ombro e gritei. Zack retirou a mão e me olhou com espanto.
– O que há, safadinha?
Eu virei o rosto para o outro lado e murmurei.
– Nada.
De repente a face dele iluminou-se com um sorriso. O tipo de sorriso que me deixa derretida e que significa que ele descobriu uma nova fraqueza minha.
– Minha nossa... você tem medo de filmes de terror!
Eu trinquei os dentes.
– E daí? Muita gente tem medo, tá?
Ele virou a cabeça pra trás numa gargalhada.
– Você é uma piada! Jéssica, você é uma caçadora de vampiros! Devia estar acostumada com horrores, sangue, morte... tipo eu!
Hum, sim, você até pode ser de matar, mas é lindo de matar. Se todas minhas missões se resumirem a você vou ser com certeza a mulher mais feliz do mundo.
E a mais pobre, porque nunca vou conseguir matar vampiros de verdade.
– Isso não é da sua conta! – cortei logo e dei um novo grito quando Samara fez uma nova vítima.
Ele me abraçou rindo e me deixei levar. Não luto contra filmes de terror. Sou uma maria-mole mesmo.
E depois, quem me abraçou foi o gato do Zack, não a feiosa da Samara.
Então no fundo tenho que agradecê-la.
Quando o filme terminou dei uma desculpa qualquer de que estava com dor de cabeça e corri para o meu quarto. Eles tentaram se opôr, mas fui convincente quando calcei os saltos e disparei porta afora.
Corri pelo corredor eufórica, atropelei duas gurias de torcida – ai, vai sobrar pra mim amanhã – entrei no meu quarto, bati a porta, tomei um banho super rápido e me enfiei nas cobertas. Eu sei que estava impressionada, por mais bobo que possa parecer.
E ridículo; eu vi Jurassic Park e cismei que tinha um tiranossauro me olhando pela janela quando o filme terminou. E eu já tinha 15 anos!
O telefone tocou. Pelo número do celular, eu vi que era Zack. Atendi pau da vida.
– Se você falar “seven days[2]” eu juro que te mato!
Ele caiu na risada do outro lado da linha.
– Pensei que estivessemos assistindo “o chamado”, não “o grito”.
– Como você é hilário, Zack. Muito mesmo. Se não tem nada melhor pra fazer me deixe em paz, tá?
– Nossa... você está nervosa mesmo! É só um filme, Jessi! Samara não vai te visitar.
– Cala essa boca.
Desliguei o telefone na cara dele e gemi, embaixo das cobertas. Uma hora eu ia pegar no sono, só tinha que manter a calma.
Seja racional, Jéssica – eu repetia – a Samara não existe e nem vai aparecer porque você resolveu assistir o filme dela hoje.
Eu sei, cérebro, mas você já errou muitas vezes! E se...
A janela do quarto se abriu. Simplesmente ergueu-se como se tivesse sido suspensa pelo vento. Gemi baixinho. É ela! Eu sei que é!
– Jessi?
Aquela voz doce soou nos meus ouvidos como a música mais suave que já ouvi em baile de formatura.
Baile em que eu estaria linda, em forma, com um penteado fabuloso e com um vestido Armani.
Voltei-me devagar. Zack estava lindo, contornado pela luz do luar que passava pelas frestas da janela e etéreo com as cortinas voando ao seu redor.
– Não quero conversar hoje – murmurei – não quero suas gracinhas também. Se quiser ser cruel e me torturar, me assustar, me sacanear, vá em frente. Mas saiba que isso só vai aumentar em mim o desejo incontrolável de te matar com requintes de crueldade.
Ele sorriu.
– Claro que sim. Mas hoje não quero te sacanear, tá? Estou cansado. Aquele filme besta me deixou meio com sede. Hummm...quanto sangue. Entretanto em matéria de quantidade de sangue Kill bill continua ganhando. Já viu esse filme? A mulher corta o dedo e o sangue jorra como se fosse de uma mangueira de bombeiro!
Eu puxei as cobertas e cobri minha cabeça.
– Eu não quero saber de filme nenhum. Vai embora.
Ele sentou-se ao lado da minha cama e quando ela afundou meio de lado com seu peso, acabei estremecendo.
– Há algo que eu posssa fazer por você?
Sim. Mas não é algo que eu possa dizer em horário comercial.
Affe, hormônios, nada deixa vocês com medo?
– Apenas vá embora – respondi, com uma voz esganiçada.
– Eu vou ficar.
Pisquei por debaixo das cobertas e virei-me incrédula. Ele costuma fazer isso sempre; mas nunca soou tão sério.
– Como é?
– Eu vou ficar – ele insistiu – não tenho nada melhor pra fazer.
– Eu posso te dar pelo menos uma lista de dez coisas.
– Vou sentar-me aqui na janela e admirar a noite, só isso.
Ele levantou-se e sentou-se no umbral como se realmente não pretendesse arredar o pé dali.
– Posso saber por quê?
– Boa noite, Jessi.
Eu senti-me meio indignada e voltei-me para as cobertas bufando. Não posso negar que me senti bem, sabendo que ele estava ali, apenas em silêncio. Isso é raro.
Senti que pegava no sono devagar e pareceu-me que em sonho ainda pude ouvir a voz dele dizendo suavemente.
– Nunca vou deixar nada acontecer com você, Jessi...
É bom mesmo que não seja um sonho.



   
Vivianne Fair





[1] otakus – fãs de anime e mangá (o feminino é otome)
[2] fala da vilã Samara no filme, antes de matar alguém



Awwwn! :3
Leia Mais ►
Tecnologia do Blogger.