Conto 18 - A Caçadora

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Certo, eu sei que passei algum tempo sem postar contos, mas estou escrevendo o livro 3 e quero que ele esteja pronto até a Bienal...então como faz, né?? rsrs
Estou querendo colocar algumas novidades aqui também, mas o tempo é escasso...quem me dera poder viver só de livros! Mas enfim...

Vou colocar o conto aqui e quem quiser pode baixá-lo lá embaixo, está bem? Sem problemas! ^^


A novata



Conto 18 – Jessi e Zack – personagens do livro “A Caçadora”
Autora: Vivianne Fair


Eu me identifico demais com as pessoas que sofrem bullying. Afinal eu passei por isso por muitos anos e passo até hoje – cofcofZackcofcof. Por isso eu meio que me identifiquei com a pobre menina quando ela entrou na sala, tímida, jeitosinha, roupas largas. Era bonitinha, mas meio na dela. O professor a apresentou como Bela; e ela só deu um suspiro. Mas aí minha antipatia pela garota começou.
Não, não é pelo fato dela chamar-se Bela, quem implica com Crepúsculo é Zack, não eu. É o fato de a garota cravar os olhos no meu vampiro como se ela tivesse dentes no lugar dos olhos.
Zack gosta de sentar atrás de mim, para poder ficar soprando no meu ouvido e me deixando toda derretida ou ficar puxando fios da minha blusa. Também gosta de jogar coisas no meu cabelo ou grudar papéis nas minhas costas, mas enfim. A garota sentou-se ao lado dele.
Bom, o fato é que ninguém senta perto de Zack, afinal ele é um sacana de marca maior. E tinha muitas cadeiras vagas porque aquela aula em questão era muito chata. Mas ela sentou ali. E não bastando isso, ainda deu um sorrisinho sem graça para o meu vampiro e baixou a cabeça. Bem, não fiquei acompanhando a aula inteira para ver se a garota continuava secando o meu vampiro – que estranho jogo de palavras, não? – mas tentei ficar na minha.
De súbito a borracha da tal Bela caiu no chão, aos pés de Zack. Ela ficou fitando-o para ver se ele se daria ao trabalho, mas ele não moveu uma palha. No fundo admito que gostei, mas não queria ver outra vítima de bullying, ainda mais no primeiro dia. Virei para trás e sussurrei.
– Zack, por favor. Pegue a droga da borracha da menina.
– Por quê? – ele sorriu – Você vai me obrigar?
– Seja educado. É uma regra da boa educação.
– Eu não determinei regra nenhuma.
– Você não dita as regras do mundo, seu estúpido, não me importa quantos anos você tenha. Agora pega a droga da borracha ou meu salto vai parar na sua testa.
– Isso também é regra da boa educação?
Eu rosnei e ele suspirou e agachou-se para pegar a borracha.
E a jogou do outro lado da sala.
– Zack!!
– Senhorita Jéssica – disse o professor irritado – tem alguma coisa incomodando você?
Zack levantou a mão em tom de gozação e a sala riu. Vou pedir um aumento de salário.
– Não é nada, professor – virei para Zack de novo – vai pegar a borracha que você tacou lá embaixo.
– Que borracha?
A menina permaneceu com a cabeça baixa todo o tempo, olhando para Zack de relance, mas não disse nada. Suspirei e engatinhei até perto da lixeira para pegar a droga da borracha e levei alguns chutes de colegas desavisados. Ao menos espero que tenham sido sem querer.
Voltei para o meu lugar, caprichei o melhor sorriso que tinha e entreguei a borracha para a novata. Sibilei para Zack novamente e voltei pra frente. Zack só ficou enrolando os lápis dele no meu cabelo até o fim da aula.
Na saída, dei um cutucão em Zack e apontei a menina.
– A garota é nova. Não custa ser um pouco gentil, né?
– Jessi – ele assumiu um tom sério – você não conhece esse tipo de menina como eu conheço. Vai por mim. Agora vamos dar uns amassos?
Eu estava pronta para dar-lhe uma resposta ríspida – ou concordar, né, vai saber – quando a menina se aproximou de nós e falou com um tom de voz meigo.
– Oi, é... obrigada por pegar a minha borracha.
Fui eu que peguei a borracha, mas ela olhava para Zack. Ele só deu de ombros.
– Não foi nada – respondi – Bela, não é? Veio de outra cidade?
– Hum, é, vim. Que bom encontrar vocês logo no primeiro dia. São irmãos?
Zack deu um sorriso.
– Não, na verdade ela é minha caçadora e está tentando me mataAAI! – ele se contorceu quando eu dei-lhe uma cotovelada na costela.
– Hum, não, querida, somos namorados – a minha voz soou meio arrogante, mas não sei dizer se foi meio proposital – Zack, não quer dizer nada?
– Estou com fome.
Eu fechei a cara e ele deu um suspiro.
– Tá, tá. Desculpa por ter jogado longe sua borracha. Bem vinda à universidade. Procure não sair à noite.
Ela deu um sorriso animado e desviou os olhos para o chão.
– Obrigada. Pode me mostrar onde é o refeitório? Sou nova aqui, você sabe.
– Desculpe, mas o meu refeitório não fica na mesma direção que o seu – então ele deu de ombros – quer dizer, às vezes fica.
Eu bati a mão na cara – na minha cara – e puxei a garota pelo braço.
– Deixa esse mané pra lá. Eu te levo para o refeitório, certo? Zack, vai procurar o que fazer. Ou beber, sei lá, mas ‘manera’, ok?
– Falou e disse, amor da minha não-vida.
Detesto quando ele dá essas pistas para as pessoas descobrirem quem ele é, mas amo quando ele fala assim comigo. Pareço mulher de bandido, fala sério.
A garota não era de todo ruim, só meio na dela. Contou que veio de uma cidade pequena e que queria estudar medicina, mas não gostava de sangue.
Engraçado, já escutei isso em algum lugar.
De qualquer forma, depois do almoço, eu a levei para o armário dela, apresentei-a a algumas pessoas e mostrei onde ficava seu quarto. Ela era bem tímida mesmo, mas conseguiu fazer algumas amizades. Antes de fechar a porta, ainda me fez uma pergunta.
– Sabe, esse Zack... ele é assim com todo mundo?
– Assim como?
– Assim, meio altivo, meio... rude.
– Aah, não se preocupe. Ele é assim com todo mundo mesmo, mas na verdade ele costuma ser mais sacana comigo. Fique tranquila que uma hora ele se acostuma com você.
Ela deu um sorriso e fechou a porta. Fiquei ali olhando para frente meio sem ação. Não gosto quando Zack chama tanta atenção. Isso pode estragar nosso disfarce – o dele de ser um vampiro que procura esconder-se de todo mundo e o meu, que quer matá-lo mas não pode deixar ninguém descobrir.
É, eu sei que você deve ter um monte de dicas de como eu posso fazer isso, mas prefiro ir com calma, tá?
De qualquer forma, quando voltei ao meu quarto, Zack já estava lá, fazendo meu controle remoto de piano.
– Quer parar com isso?
– E aí? Como foi com a tal Bela?
– Senti um tom de desprezo? Vai começar a pegar no pé dela como você pega no meu?
– Não...você é especial...
Eu comecei a corar até ele completar:
– Afinal, quem mais além de você está tentando me matar?
– Toda a raça de vampiros?
– Que exagero. Eu diria uma terça parte.   
Joguei meus livros na cômoda e suspirei.
– Bom, então cai fora que hoje quero dormir cedo.
– Dormir? Que pretensão!
– CAI FORA!
Ele riu e continuou a teclar o controle. As vozes na tela mudavam tão rápido que começou a me dar agonia. Eu tomei o objeto da mão dele e taquei pela janela.
– Agora vá pegar e vê se some! Ontem você não me deixou dormir e hoje estou indisposta. É sério! Vá caçar!!
– Puxa, deve ser sério mesmo para você me dar um conselho desses... tudo bem, só por hoje, está bem?
– Sim, por favor – exagerei a voz para soar num tom desesperado. Eu realmente estava cansada e precisava ficar em paz com meus pensamentos para saber o que estava me incomodando.
Bom, o problema é que sem Zack para ficar me incomodando eu bati na cama e dormi na hora. Não é sempre que tenho esse privilégio.
No dia seguinte, saí e vi que a Bela já tinha feito alguns amigos. Isso é bom, claro. Não demorou muito para que as otakus me cercassem e me contassem as últimas do mundo dos animes, então nem fiquei sem assunto. Ou com meus ouvidos sem zunir.
Quando chegou à noite, estava já sentada no banco no jardim esperando Zack chegar. Deram seis horas e já estava me levantando para ir ao encontro dele até que...vi a tal novata chegando nele antes mesmo que saísse do prédio.
Controle-se, Jessi. Lembre-se que isso é puro ciúme e que Zack vai tornar sua vida um inferno se perceber.
Eu sei, cérebro, mas ele faz isso mesmo, naturalmente e sem esforço algum.
Respirei fundo e tentei parecer bastante normal quando me aproximei dos dois. A Bela me deu um aceno de cabeça.
– Pode ir andando pra sala, Jéssica – ela murmurou com o rosto corado – Eu já estou indo.
Abri a boca parecendo um peixinho dourado. Ela estava me dispensando?
– Na verdade – Zack se adiantou quando percebeu meus olhos ficando vermelhos de ódio – Jessi e eu sempre assistimos aula juntos.
– Ah – ela murmurou, desapontada – e qual aula você tem agora?
– Sei lá...botânica avançada?
– Anatomia, Zack – retruquei – e já estamos atrasados.
– Eu sabia! – ela respondeu com uma cara de poucos amigos e fiquei grilada. Depois deu as costas para nós dois e saiu apressadamente.
– O que foi isso, Zack?
– Ela é louca. Eu te disse isso desde o princípio. A garota veio aqui para me perguntar porque estou seguindo ela!
– Deixa de ser mentiroso! Por que ela acharia isso? Está se achando demais, senhor Zack.
– Pra começo de conversa, caçadora de meia-tigela, essa daí tem a maior cara de papa-cara-sexy. Em segundo, sei lá o que se passa na cabeça de vocês! Mas foi isso mesmo que ela disse! Que eu a estava perseguindo!
Sacudi a cabeça. A história era inverossímil demais. Ou eu que não queria acreditar? Zack murmurou algo de cabeça baixa e seguimos em frente, direto para a aula. A garota estava lá, só que desta vez, sentada no meu lugar. Respirei fundo. Detesto quebrar minha rotina. Sentei ao lado de Zack, mesmo sabendo que ele ia me chutar a aula inteira, mas não tinha nenhum outro lugar vago. Depois vou perguntar à garota qual é a dela.
Não, não, Jessi, você não pode se deixar vencer pelo ciúme – disse meu cérebro.
Não é questão de ciúme, cérebro! Você não entende? Ela sentou no meu lugar! A cadeira já deve ter o formato da minha bun...
– Oi, Jéssica – a Bela virou para o meu lado – Oi, Zack. Parece que você está atrás de mim agora...
Zack olhou pela janela e não disse nada. Alguns minutos depois da aula começar ele me passou um papelzinho.

Essa garota me dá nos nervos. Deixa eu atacar ela, vai? Um ataquezinho só, quem vai saber?  

Até a letra de Zack é bonita. Que raiva me dá isso. Escrevi outro papelzinho:

Tem uma série de empecilhos que te impedem de fazer isso. Quer uma lista?

Tem razão. O sangue dela deve ser intragável. O resto da lista não me importa.

Já Bela parecia alheia à nossa discussão silenciosa. Ficava o tempo todo escrevendo em seu caderninho, extremamente concentrada. Confesso que fiquei muito curiosa.
Uma certa hora ela levantou a mão e pediu ao professor para ir ao banheiro. Quando ele assentiu, ela virou-se para trás.
– Por favor, Zack, não me siga. Com licença, Jéssica.
Eu fiquei de queixo caído. Mas que atrevimento! Quando me virei para Zack para pedir pra ele alcançar o caderno dela, o vampiro já estava com ele na mão.
– Zack, você...
Parei quando percebi que ele fitava o caderno horrorizado. Que coisa tenebrosa essa menina escreveu ali? De súbito ele me entregou o caderno, sussurrando.
– Eu disse que ela era perigosa. Mas você “nããão, coitada da pobre menina...”
Abri na página que ele me indicava.

Não entendo porque ele faz de conta que não se interessa por mim. Zack não consegue me deixar em paz. Todas essas tentativas de me fazer acreditar que não está interessado em mim são tolas. Não entendo porque brinca com meus sentimentos enquanto não há dúvida que está louco por mim. Ontem à noite ouvi um barulho do lado de fora e o vi correndo pelo jardim. Provavelmente estava tentando me ver, mas assim que coloquei a cabeça para fora, ele fugiu. Zack não consegue ficar longe de mim. Pobre Jéssica...mas ela terá que entender que não pode ficar no meio de um amor verdadeiro...

–  AQUELA VA...
– E agora, o que vamos fazer? Eu te avisei, não foi? Ela está obcecada. Vou fingir que sou gay, é isso.
– Desiste. Da última vez que você fingiu que era gay, metade dos rapazes da universidade se declarou pra você e nem de longe diminuiu o interesse das meninas. Agora coloca o caderno dela de volta.
Ele deu de ombros e colocou-o no mesmo lugar. Ficamos os dois a aula inteira tentando pensar no que poderia fazer a menina desistir. Ela o tempo todo inclinava-se para trás e Zack ficava fingindo que ia enfiar o dedo na garganta para vomitar. A minha vontade era de simplesmente colocar bom senso na cabeça da garota.
Nem que fosse à base do tapa.
– Você está se mordendo de ciúme, não está? – ele murmurou, me assustando.
Eu permaneci olhando para frente.
– Não seja ridículo. Só estou preocupada com o ritmo dos acontecimentos. Se você se envolver com essa garota nosso disfarce pode ser prejudicado. Como vou matá-lo sem ninguém saber?
– Admite, vai – ele inclinou-se e estendeu a mão para o cabelo dela – admite, senão eu vou fazer carinho na cabeça dela.
Engoli em seco, mas permaneci olhando para frente.
– Você é tão infantil.
– Estou quase lá... – ele estendeu a mão mais ainda. Estava quase tocando o cabelo dela – só diz que me ama e eu paro.
– Pare com isso – trinquei os dentes.
Quando ele triscou no cabelo dela eu dei um grito.
– Tá, eu admito, sou louca por você, pronto, FELIZ??
Engoli em seco quando notei que tinha dito isso alto demais. A sala inteira estava de olhos arregalados e Zack com um sorriso tão grande que dava pra ver por trás da cabeça dele. Afundei a cabeça no caderno e gemi.
– Senhorita Jéssica... – a voz cavernosa do professor acordou-me dos meus devaneios.
– Já sei, já sei – murmurei enquanto me levantava, pegava meus livros e saía.
Quando estava lá fora fiquei pensando no que fazer. Chamava a menina para conversar? Ia me esconder no quarto até Zack cansar de bater na porta? Me mudava pra China?
Enquanto me perdia em pensamentos, eis que Bela abre a porta da sala e passa correndo por mim aos prantos. Zack surge uns dois minutos depois, caminhando calmamente.
– Zack, o que...?
– Bom, eu abri o jogo com ela. Na verdade, contei uma mentirinha...
– Que mentirinha?
– Disse que meu coração já pertence a alguém e que eu não era vampiro, lobisomem, ser do espaço, nada. Só um cara bonito e comum e com nada de sobrenatural. Esse tipo de menina caça homens com algo a esconder, entendeu? Tenho lidado com isso há séculos.
– Então...a parte da mentirinha é o fato de você não ser sobrenatural...e a parte do seu coração...
– Que já pertence a alguém? Isso é verdade, sim. Pertence à mulher mais burrinha de todo o mundo.
– Bom, espero que vocês sejam muito felizes juntos – respondi secamente.
– Boa tentativa. Mas você sabe quem ela é. Vou dar uma dica: está tentando me matar...
Eu tentei esconder o sorriso.
– Ahh, Zack, você é tão... – fechei a cara – desprezível.
Ele me deu um sorriso e caminhamos de mãos dadas para a coordenação.
No fundo acho que sou burra mesmo. Mas uma burra feliz.




   
 Vivianne Fair  



Hahaha, se fosse comigo... =p


Pra facilitar a vida de todo mundo!

Todos os contos até 13 aqui!! Clique em 'download comum'

conto 14 ( o natal de Zack)
conto 16  
conto 17




Conto 18 (este conto) aqui embaixo! ^^


Beijoos!! A promo está acabando, hein?? Corram lá!! ^^






  
Comentários no Facebook
33 Comentários no Blogger

33 comentários:

  1. Ah! Ciúme é fogo.
    Estava com saudades dos seus contos.
    Adorei.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Nossa esse conto ficou muito bom.Zack se fazendo de gay essa eu queria ver.A Jessi não é burra ela só é apaixonada pelo Zack,burra é a garota que pensava que o Zack gostava dela,mas no fundo não a culpo ,Zack é demais.Se aparecesse uma dessas na minha vida eu nem sei o que faria,mas não deixava barato.Eu achei até que a Jessi foi sensata.Vivianne parabéns ótimo conto como sempre.(Aline)

    ResponderExcluir
  3. ameeeeeeeeeeeiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii
    eu tambem queria ver zack gay, deve ser engraçado.
    quase fiu espancada por minha irmã só porque eu estava rindo, vê se pode?
    o conto ficou PERFEITO. continue escrevendo o livro não pare, *relaxe* xauu.

    ResponderExcluir
  4. Ai o ZAck eh mto fofo.... ate eu apaixonei <3
    Otima tirinha... parabéns vivi!
    XOXO

    ResponderExcluir
  5. Viviane Ferreira8 de junho de 2011 22:44

    Nossa, ri muito, não sério, o Zack só faz a Jessi pagar mico!! Coitada!! Mas ficou muito fofo o conto, amei imensamente!!
    Parabéns Vivi!!
    Bjos

    ResponderExcluir
  6. rsrsrs, que bom que vocês gostaram, meninas! Eu até fiquei com ciúme pela Jessi, acho que ia querer esganar a menina, mas qume nunca se enganou assim?? hahaha! AAAh, que bom!! ^^ Podem deixar, estou trabalhando no livro! Beijos a todas!! =**

    ResponderExcluir
  7. Oi Vivi,
    Mais uma vez você se superou!! Ri muito aqui!!!
    Ainda bem que meu chefe está de férias e pude rir à vontade na sala!! ehhehehe
    Mas eu ainda acho que a Jessi devia ter passado um rodo nessa menina!! Só um!! hehe
    Beijos
    Camis

    ResponderExcluir
  8. Hahaha, que bom, Camis!! ^^ Aah, eu também teria feito, mas a Jessi ficou com dó, né? Se Zack tivesse aprontado acho que eu teria passado o rodo nele! hahaha! Beijos!!

    ResponderExcluir
  9. AI que lindo,amei o Zack foi um máximo como sempre,essas belas da vida não se toca.
    Até eu fingia ser burra para ter o Zack no meu lado,não se preocupa não jessi.
    PS:vcs são o meu casal preferido.

    ResponderExcluir
  10. BIENAL? *-*
    ME DIZ QUE É A DO RJ *-*
    DIZ
    DIZ
    *¬*
    Eu vou ta lah, vou atras de você pra comprar o livro ashuashuhasuhasuhasusa e ainda tirar fotos 8D
    omg virei fãgirl e.e

    ResponderExcluir
  11. jay: hahaha, acho que no fundo eu também ficaria burra perto dele... =p Essas Belas mereciam um chega pra lá! XP que bom que é seu casal preferido!!

    Nat: É sim, se Deus quiser!! ^^ hahaha, pode ir! XD vixe, fangirl é um perigo!! XD

    ResponderExcluir
  12. Ai Vivi foi D+ amei e como sempre ri mto,bjuss

    ResponderExcluir
  13. Com certeza esse conto vai pra minha lista dos favoritos
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, essa Bella ja tava começando a me dar nos nervos, tava esperando a hora que a Jessi saisse no tapa com ela. Que menina louca kkkkk Quem já se viu roubar o zack da jessi, eu hein.
    Esse conto foi demais vivi, parabens! :D

    ResponderExcluir
  14. Que bom, anonimo! XD rsrsrs, beijoos!

    rafa: Eeeh, que bom! hahaha, não é? Eu sairia no tapa, com certeza!! XD Obrigada, Rafa!! ^^ beijoos!! =***

    ResponderExcluir
  15. Tenho certeza que zack não falou nessa calma toda com a menina pra ela sair chorando mas, (ele não seria ele)... A caça-monstros mereceu!
    Ah, jessi, dexa de se estressar, todo mundo sab q vc e zack são loucos um pelo outro!
    Bella nenhuma tem vez!

    ResponderExcluir
  16. hahaha, quem sabe? Mas acho que eu choraria também se fosse desprezada pelo Zack, haha! Não é? Casal 20! Affe, bellas...¬¬

    ResponderExcluir
  17. Oinnn, que lindoooooo! Ai vivi, tenho que ler o livro =)
    Estou me segurando até hj acredita?? Mas quero ter pelo menos o 2° em mãos pra poder ler logo!!

    Zack, já disse que te amo??
    Muito lindinho ele ^^

    ResponderExcluir
  18. Que bom que gostou, Nanda! ^^ Aah, não acredito...u.u se segurando??
    Hum, Jessi acha ele lindinho..mas não no sentido fofo..haha! XD Beijoos! =**

    ResponderExcluir
  19. Adoro o Zack, esse cara é de morre de rir. (Haha!)
    A Jessi bem que gosta, quem não gostaria!
    Presiso desesperadamente ler o livro.
    Vivianne, seus contos só melhoram, sempre me acabo de rir. Divertidisimos.
    Zack forever!!! kkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  20. Aaw, Pabline, muito obrigada, viu? Fico muito feliz com isso!! Beijoos!!

    ResponderExcluir
  21. Ah o Zack é irritantemente tudodebom!!!! *_*
    kkkkkkkkk Ri horrores aki! Que Bela mais irritante querendo dar uma de Elena! Se eu fosse a Jessi tinha dado um chega pra lá nela e marcado meu território! ¬¬" kkkkkkk aww mas o Zack é muito fofo, perversamente fofo! rsrs Ciúme é fogo mesmo, e ele aproveita! hehe
    ADOREI!!!
    Bjusss

    ResponderExcluir
  22. Ah, esqueci de dizer... Ansiosíssima pelo terceiro livro!!! *_*

    ResponderExcluir
  23. hauahaua....não é, que menina folgada! Vai se meter no meio dos dois?? Absurdo! XD Jessi acaba se entregando...=p
    Está saindo! Graças a Deus, agora vai! hehehe!
    Beijoos!

    ResponderExcluir
  24. Nossa... muito legal!Seria bem interessante ver um conto que o Zack se fazendo de gay. rsrsrs
    Ele é "podre"! Mas nós o amamos! VAI SER GATO ASSIM LÁ EM CASA!

    ResponderExcluir
  25. hahaha, deve ser por isso que o amamos..XDD

    ResponderExcluir
  26. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  27. Uma palavra "MARAVILHOSO" amei... seria legal se a jess tivesse um encontro ai eu queria ve o que o Zack faria ia ser mega legal to indoo beijos

    ResponderExcluir
  28. hahaa, não é?? Obrigada, Grazi! ^^

    ResponderExcluir
  29. NOOOOO adoreeei o contooo
    Zack demais como sempre,mas minha xará é calminha demais,aaaaa se fosse eu,primeiro teria rancado do meu lugar,segundo quando me dispensou teria falado alguma coisa tipo dá licença q não vim procurar você? e agarrado o Zack KKK e teria dado um rodo nela por tentar pegar meu vampiro kkkk e teria 'passado' o rodo no Zack depois ^^ kkk a Jessi é gente boa demais com os outros,e Jessi,pro Zack eu sou burrnha tbm a qualquer hora *--*

    ResponderExcluir
  30. hahaha, que bom! hauahuahaua, aah, se fosse comigo aquela menina ia enfrentar uma bicha ensandecida...u.u já foi dificil achar um vampiro, né? Ache o seu próprio, poxa! hahaha! Uhuu, passa o rodo, passa o rodo!! haahahah! Eu também sou burrinha! =3

    ResponderExcluir
  31. I wanted to thank you for this great read!! I definitely enjoying every little bit of it I have you bookmarked to check out new stuff you post It’s really great article. I would like to appreciate your work and would like to tell to my friends.

    ResponderExcluir
  32. Eu queroooooooo esse cara pra mim <3 <3 nao me importo se ele me chamasse de burrinha kkkkkkkkk

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.